2007-10-08

24 H de Viseu - 6 e 7 de Outubro de 2007 - Relato do PL

Os Just4Fun apareceram precisamente quando nos preparávamos para uma prova de 24 H com uma equipa de quatro elementos e até há relativamente pouco tempo, quem participava na classe solo era visto com um misto de veneração e estranheza.
Quem eram aqueles tipos que se dispunham a fazer sozinhos o máximo de voltas possíveis durante 24 horas?
Hoje sei que são uns tipos como nós, mas há de tudo, desde o pessoal que vai para dar meia dúzia de voltas e passar a maior parte do tempo no ripanço, até ao cromo que vai andar quase sem parar e nem sabe o que isso de ripanço. Algures no meio destes extremos, estamos nós, os turistas do BTT, mas o que seria do BTT sem os turistas como nós, que engrossam as listas de inscritos da maior parte dos eventos.

Participar numa prova deste tipo dá sempre um certo formigueiro que vai aumentando à medida que o dia se aproxima, desta vez, participando a solo, estranhamente as formigas não compareceram à chamada. O facto da logística ser incomparavelmente menor e de não ter que se fazer tanto planeamento tira um bocado do gozo da participação. Um carro cheio de tralha serviu de base de apoio local, pelo que não houve o habitual acampamento Just4Fun. Um quarto de hotel nas proximidades serviu de apoio remoto e permitiu que as poucas horas de descanso fossem efectivamente dormidas.

Na prática: fui, pedalei, regressei inteiro e não fiquei em último. Objectivos cumpridos.
Fiz 24 voltas a um percurso de cerca de 7,3 km e com um desnível de 140 m.
No total foram 175 km e 3360 m de acumulado de subidas.
Como eu esperava é violento, mas é uma questão de avaliar até onde se pode ir e não passar os limites. Tenho consciência que no meu estado actual de preparação não conseguia ir mais longe sem sofrimento desnecessário.
O tempo de pedalada efectivo foi cerca de 12 H, mas comi tudo a que tinha direito, com pausas para jantar e tomar o pequeno-almoço, servidos pela organização, além de outras pausas junto do carro de apoio para abastecer, lubrificar a bicicleta e descansar um pouco.

Depois da partida na cauda do pelotão para evitar molhadas e umas primeiras voltas mais rápidas (??) na casa dos 27 min, entrei em gestão de esforço e fazia sempre voltas entre os minutos 29 e 31, quer fosse de dia ou de noite. Parecia um relógio. Fiz uma pausa técnica entre as 23:15 e as 6:00, que me deu cinco horas de sono e me permitiu regressar com novo alento no dia seguinte, altura em que decidi que o objectivo seria fazer 24 voltas, que mesmo assim daria mais 15 km que os 160 que tinha estabelecido previamente como objectivo. O início às 6:00 permitiu-me também pedalar ao nascer do Sol, que é uma sensação indescritível.

O meu número (007) era um sucesso. Em todos o lado por onde passava metiam-se comigo e eu ia retribuindo. Isto e a simpatia dos controladores ajudavam a passar as voltas.

A organização esteve quaaaaase perfeita. Algumas melhorias pontuais e seria tão perfeita como diz o anúncio da cerveja. Por falar em cerveja, tivemos como prendas, além das habituais T-shirts (mais duas para dar sem as ter vestido), um saco desportivo e uma garrafa de vinho do Dão. Lembranças assim valem a pena. A zona da meta estava muito bem organizada e o controlo de troca de atletas pareceu-me perfeito, sem os magotes e confusões que se costumam formar. O percurso logo no início é que deveria ter sido pensado para evitar que os atletas e acompanhantes tivessem que o atravessar para entrar ou sair da zona de meta e secretariado, ou para ir para as refeições e balneários, e isso era possível se se evitassem 500 m de vai e vem em passeio e estrada que não acrescentaram nada e provocaram estes constrangimentos.

O jantar estava impecável, acompanhado por vinhos da região, já o pequeno almoço, se nos sólidos estava também muito bom, falhou nos líquidos, pois beber Fanta e Coca-cola ao pequeno almoço não me parece adequado e não houve sinais de um café com leite quentinho, que saberia muito bem no fim de uma noite fria e húmida.
Os reforços do McDonalds, que poderiam à partida parecer desadequados, acabaram por ser um must para mim. Tinha sumo de laranja durante a maior parte do tempo e uns bolinhos de chocolate que souberam muito bem. Houve uma altura em que no fim de cada volta parava uns segundos para mais um copinho de sumo e um bolo.

Achei o percurso muito giro e tinha de tudo: uma primeira metade muito rolante com inclinações ligeiras e uma segunda parte dentro do parque florestal com percurso sobe-e-desce muito mais técnico e com muitos ganchos. Não tinha paredes, embora algumas subidas, ainda que de extensão reduzida, fossem mais exigentes. Considero que era muito mais apropriado para este tipo de provas que alguns percursos duros que são usados por outras organizações. Para dureza já chega o tempo de duração da prova.

Com tudo isto, semáforo bem verde para os Biriattus, que se esforçaram para ter um evento com qualidade e conseguiram.

Quanto à classificação, que também é algo que gostamos de saber, fiquei em 8º em 14 participantes. Na parte final andei a morder os calcanhares de dois concorrentes que iam à minha frente, mas não os consegui apanhar. Quando comecei no Domingo às 6:00 eles levavam duas e três voltas de avanço, mas tinham concluído as últimas voltas há muito tempo, o que poderia indiciar que estavam a descansar. Se conseguisse fazer três ou quatro voltas antes de eles recomeçarem poderia subir um ou dois lugares. Fiz quatro voltas e parei para o pequeno-almoço. Eles já tinham recomeçado a andar e apesar de ter reduzido a diferença, não os consegui passar. A situação manteve-se até perto das 11:00, altura em que consultei pela última vez as classificações. Como vim embora antes de estarem disponíveis as classificações finais só hoje pude verificar que eles geriram bem o avanço.

Gostei tanto da experiência que na próxima voltarei a participar a solo.

Fotos e filmes em:
http://picasaweb.google.com/andre.correia/24horas
de onde foi tirada esta:

PL

1 comentário:

ML e HL disse...

pois bem...digamos que foi uma experiência muito interessante ;) e o resultado final foi óptimo =) mas tens de confessar que "os teus acompanhantes" estiveram sempre lá a dar apoio moral ;) e isso é muito importante!!!
As tuas acompanhantes!!!