2006-11-06

Maratona Festival Bike - Santarém 2006.11.04

Para reinar nem que seja à chuva. Mas foi chuva a mais.

Durante a prova levei com muito pouca chuva, apenas uns pinguinhos, posso dizer que praticamente não apanhei chuva.

Lama era mais que muita, o terreno estava pesado como o caroço e depois de terem passado aqueles que têm a mania de ir de mota, vai lá vai, he he, deixaram o terreno todo revoltado. Era aproveitar as poças maiores para ver se ficava alguma lama pelo caminho.

Durante o percurso esteve o sinal verde sempre aceso, nos abastecimentos, verde, (fruta, barras, bolachas, agua e líquidos energéticos) no final passou a encarnado bem escuro. Estive meia hora na fila para lavar a bike. (maquinas de pressão para a lavagem das bikes). Entretanto começou a cair como eu não me lembro de ver. Era o pessoal a querer tomar banho e a água não tinha pressão, murros dentro dos balneários, (contentores de metal).
Muitos acabaram por tomar banho na rua numas torneiras que estão por ali (Passado um bocado a organização foi retirar as mangueiras dessas torneiras para ver se a pressão aumentava nos balneários, mas não deu resultado) e outros como eu que tirámos a maior parte da lama que tínhamos em cima com a água que descia do telhado pelo algeroz com um caudal de fazer inveja a uma boca de incêndio, enquanto a malta continuava a protestar pela falta de água para o banho quente. O pessoal que chegava aí duas horas depois de nós já vinha quase lavadinho e as bikes sem lama. Estavam a dizer que uma ribeira tinha subido o nível da água e tiveram que passar com a bike à cabeça e água já a chegar aos pimpões...

Por mim este passeio tem sinal amarelo

DN

1 comentário:

JP disse...

Pois é pessoal, estava a ver se as classificações eram publicadas para lançar o meu comentário mas parece que nem isso correu bem...!

Começo por dar o meu sinal vermelho a esta organização! Temos de ser exigentes!
Sabíamos à partida que os 22 euros de inscrição não contemplava refeição, embora desse acesso à feira, mas no mínimo os banhos teriam de estar salvaguardados! Tomar banho à chuva, não tomar banho, ou ter de tomar banho a conta-gotas com água ora fria, ora a escladar, não me parece uma boa solução! Para finalizar as minhas critícas e pela negativa, um comunicado da organização no respectivo site, anúncia um problema com o videofinish que impossibilita a atribuição de tempos, pelo que apenas a ordem de chegada seria publicada até às 19 horas do dia de ontem, mais de 48 horas após o terminus da prova, o que até a esta hora, ainda não foi cumprido.
Lamenta-se!!!

No que diz respeito à prova em si, e como o amigo DN já disse, a lama fez toda a diferença. Este é um percurso muito rolante, embora no começo tivesse umas boas subidas que desde cedo separou "as águas..."!
Desta vez, os Just4Fun não se colocaram na cauda do pelotão composto por mais de 1500 participantes, segundo a organização. Colocaram-se sim, estratégicamente... por acaso... num local à frente da meta onde era dada a partida oficiosa. Pois a partida oficial seria sensivelmente uns 300 metros mais à frente, numa espécie de partida lançada. Assim, tendo partido na linha da frente, permitiu pelo menos a mim e ao PM seguirmos na cabeça do pelotão e não termos perdido muito tempo numa descida algo estreita por volta do 4º km, onde o barro predominava e impossibilitava a descida em cima da bike.
Segundo relato do meu colega Rui Berrincha, mais atrás, estiveram mais de 15 minutos parados para conseguir descer, à boa imagem do que se passou em Portalegre.
A partir desse ponto rolou-se prácticamente até final da prova. Apenas um o outro planaltozito fizeram a diferença.

Quanto aos percursos, estavam anunciados 2. Um com uma distância de 39 kms e um outro com 75 kms. Na práctica traduziram-se em 47 kms no curto... e sensivelmente 87 kms, no longo.

No que diz respeito à minha participação, traduziu-se num começo algo forte que permitiu ganhar algumas posições, juntamente com o PM. Após esse começo, tive de reduzir o andamento, tendo o PM seguido lá na frente. Por volta do km 30, alcancei o PM que tinha reduzido também ele o andamento. A partir daí, rolamos juntos até cerca do km 60, onde eu seguia um pouco na frente de um grupo com cerca de 5 ou 6 elementos e o PM mais inserido no grupo. À passagem por um abastecimento, eu não parei, pois não estava muito bem disposto e não queria comer, o PM parou, e como me informou no final, estava com problemas mecânicos, ao que parece as pastilhas teriam chegado ao fim e aquilo vinha tudo a roçar, fazendo uma enorme chiadeira. Daí até ao final, segui sózinho, e com enormes dificuldades físicas a partir do km 82, onde à saída de uns trilhos enormes e com uma lama que se torna difícil descrever como consegui lá andar sem ter de desmontar, pois aqui os percursos já eram novamente comuns e por esta altura já tinham passado centenas de participantes, dizía eu, à saída desse trilho e à passagem da placa de aviso de 5 kms para a meta, tive caimbras na parte de trás da coxa direita, como nunca tive antes. Mal consegui sair da bike, tendo-a mesmo largado para o chão e tendo-me deitado de costas nessa zona que já era de asfalto, tentando esticar sózinho a perna, pois por ali ninguém passava nesses momentos. Após uns minutos, consegui voltar à bicla. No entanto apenas conseguia pedalar com a perna esquerda, a direita apenas acompanhava o movimento dos pedais, não sem alguns esticões e inícios de novas cambrias. Felizmente, não tivemos de subir muito, pois o percurso leváva-nos por aquele asfalto que nos levou ao alto de Santarém, quando fomos até Fátima, mas no início da subida este percurso obrigáva-nos a virar à esquerda por um subida não muito longa e mais suave.
Daí à meta, umas escassas centenas de metros e estávamos no recinto do CNEMA, onde se deu o Festivalbike.

Como disse anteriormente, não há tempos oficiais nem tão pouco (ainda) as classificações. Como de costume, tenho por hábito cronometrar a minha participação, traduziu-se em 4h 08m 11s, num total de 87 kms com uma média de 21 kms/h. Atendendo às condições do piso, apenas o facto de se ter rolado muito, permitiu esta média. Não sei o tempo total do PM. Terá chegado uns 15 a 20 minutos depois, apesar das avarias que teve e de ter tentado resolvê-las parando pelo caminho.

No percurso mais curto, ou menos longo, como queiram... temos de deixar que sejam os próprios a comentar!

Para comprovar que estivemos por lá, aqui ficam uns links com algumas fotos.
Se clicarem na foto em destaque, ela aumenta. Pelo menos eu, o Pedro Martinho e Rui Berrincha estivemos lá! E tu Delgado Nunes? Onde te enfiaste? ;-)
http://abtfoto.smugmug.com/gallery/2091651/88/107962213
http://abtfoto.smugmug.com/gallery/2091651/58/107962976
http://abtfoto.smugmug.com/gallery/2091651/97/107962980
http://abtfoto.smugmug.com/gallery/2091651/97/107962989
http://abtfoto.smugmug.com/gallery/2091582/8/107913773
http://abtfoto.smugmug.com/gallery/2091582/8/107913781

2006.1108